Lançamentos Imobiliários
ou

Centro Empresarial Barra Shopping
 

Barra Golden Green
Briefing

< voltar

1- Histórico da Barra da Tijuca:

A Barra da Tijuca ainda representa um espaço urbano ainda não totalmente ocupado pelos cariocas.

Com o avanço progressivo da fronteira do tecido urbano para oeste, junto à linha da orla da Baía de Guanabara e do mar, a dinâmica da cidade foi se deslocando ao longo do tempo do Flamengo e de Botafogo para Copacabana e depois para Ipanema e Leblon. ( Seguindo os caminhos do Sol).

Os bairros mais antigos da Cidade, que cresceram no passado desordenadamente, foram sendo degradados na sua condição de habitabilidade, reforçando o processo de uma melhor condição para morar.

Esse encaminhamento chegou à Barra da Tijuca. Projetada para ser uma cidade moderna, preparada para usufruir das conquistas urbanísticas e tecnológicas que a colocam do terceiro milênio e atraente como estilo de vida para uma parcela cada vez maior de habitantes do Rio de Janeiro, a Barra da Tijuca tem condições de modificar o processo de incorporação de espaços urbanos como foi feito até hoje.

Sua organização espacial foi pensada diferentemente do restante da cidade, com amplitude e generosidade de espaços. Em 1969, foi elaborado pelo urbanista Lúcio Costa, o Plano Piloto para urbanização da Baixada compreendida entre a Barra da Tijuca, o Pontal de Sernambetiba e Jacarepaguá, com vistas a disciplinar uma ocupação que se previa explosiva.

2- Localização - Praia da Barra da Tijuca:

A localização do empreendimento é na Barra da Tijuca, expansão natural da cidade do Rio de Janeiro, com amplos espaços, os únicos com área ainda disponível de frente para o mar.

Enfatizamos que a Barra da Tijuca, com sua extensão de 176,36 km² e seus 18 km de praia, é o único local para a implantação de um empreendimento com estas características no Rio de Janeiro, pois os bairros de Copacabana, Ipanema e Leblon, com características também marcantes de grande beleza, não oferecem mais espaços físicos disponíveis.

3- Projeto - Empreendimento/investimento:

O Barra Golden Green é um empreendimento que vem se desenvolvendo desde Junho/1992, envolvendo investimento da ordem de US$150 milhões. O prazo para sua conclusão será em Junho de 2003. Atualmente concluído e entregue treze prédios, todas as obras de urbanização, clube e campo de golfe, ciclovia, a última edificação está em fase de estrutura e o final da construção previsto para 06/2003, para concluir o projeto.

Uma equipe da arquitetura e paisagistas, coordenada pela Embraplan, manteve ao longo de 6 anos intensa atividade na concepção e desenvolvimento deste projeto. Entre seus principais arquitetos e paisagistas citamos Burle Marx & Cia, Robert Fuchs, S & W Arq. Assoc., Henrique Mindlin Arq. Assoc., Sérgio Gattáas Arq. Const., Eduardo Mondolfo Arquitetos Ltda, Paulo Baruki, Ana Maria Vialli e Ricardo Pradez Proj. Const.

O empreendimento, na sua fase de desenvolvimento, teve a participação de 84 profissionais de alto nível, entre arquitetos, engenheiros, urbanistas, paisagistas, etc.

A idéia do empreendedor foi contratar diferentes arquitetos para concepção dos projetos residenciais, de tal forma que permitisse ao público comprador escolher os estilos distintos que cada qual tem, evitando assim padronização de estética verificada nos condomínios desenvolvidos no Bairro.

4- Grupo empreendedor:

A G.D. Empreendimentos Imobiliários S.A, empresa responsável pelo empreendimento, é o resultado da associação dos grupos Multiplan; Bozano, Simonsen; Anglo American.

5- Área Construída:

O Barra Golden Green está situado entre a Av Sernambetiba e a Lagoa de Marapendi, em área de 181.000 m², dos quais apenas 6,5% serão ocupados com edificações. Os 93,5% restantes são destinados a 60.000 m² de área verde, um campo de golfe e um moderno centro de esportes e lazer. Burle Marx assinou o projeto de urbanismo e paisagismo.

A título de comparação, pode-se verificar que a área de urbanização do Barra Golden Green corresponde a 18 quarteirões do bairro do Leblon, nos quais estão edificados 347 prédios, equivalentes a uma taxa de ocupação do terreno de quase 70%. Já no Barra Golden Green, a ocupação do solo é da ordem de 8.5%, deixando desta forma, mais de 91,50% da gleba destinada a áreas verdes e espaços livres. Os menores lotes correspondem a uma superfície igual à área do Rio de Janeiro Country Club em Ipanema, no Rio de Janeiro que tem cerca de 10.000 m², referência de área generosa para Sociedade Carioca.

6- O "Master Plan":

O "Master Plan" do Barra Golden Green desenvolve-se sobre uma área de aproximadamente 181.000 m², originária da urbanização de um a gleba de cerca de 200.000 m², e é o resultado de seis anos de intenso planejamento, coordenado pela Embraplan.

As características de tamanha extensão contínua de terreno, em privilegiado local da Barra da Tijuca, fez com que fosse adotada uma filosofia urbanística que permitisse manter intocada a sua integridade territorial - verdadeira micro-região - conforme mais tarde se expressou em vários pareceres o Profº Lucio Costa.

Entre outros cuidados, procurou-se estabelecer relações entre as alturas dos prédios e as distâncias entre os mesmos, de tal forma que a ventilação e a iluminação dos cômodos aí projetados não fossem jamais prejudicadas.

A área foi dividida em 9 glebas, variando entre 11.000 m² e 45.000 m², nas quais inicialmente foram programados dois hotéis, tipo "resort" 5 estrelas, cada qual com 15 pavimentos, 3 prédios de seis pavimentos e cobertura; 5 prédios de 11 pavimentos e cobertura, 3 edifícios de 15 pavimentos e cobertura, totalizando apenas 13 edificações ( 2 hoteleiras + 11 multifamiliares residenciais). Há certa de dois anos, transformamos o projeto do Resort Hotel da G.D., através da operação interligada com a Secretaria de Urbanismo, modificando seu uso para 3 edificações multifamiliares, ampliando o Master Plan do BGG, para 15 edificações ( 1 hoteleira + 14 multifamiliares residenciais) na sua totalidade.

A altura dos prédios, a partir da Av. Sernambetiba em direção ao Canal de Marapendi, os volumes projetados e as distâncias entre os blocos é outra característica do empreendimento, pois foi projetado de forma a manter incólume o visual e a privacidade dos moradores. A situação de cada edifício dentro de seu lote privativo, bem como no conjunto do Barra Golden Green, impede a interferência de uns em relação aos outros, minimizando, elegantemente, os problemas que daí poderiam advir.

7- Produto Consagrado ao Longo de Sua Execução:

O Barra Golden Green, sem dúvida, foi consagrado pelo Mercado local como o maior empreendimento imobiliário de alto luxo projetado na cidade do Rio de Janeiro nos últimos 20 anos, fruto do desejo de todo consumidor Carioca que elege a Barra da Tijuca como sua moradia.

A sua localização - na maior área urbana da Barra da Tijuca, com 500 metros lineares de frente para o mar e para a lagoa de Marapendi -, aliada a um "master plan" de qualidade internacional e a altíssima qualidade da construção do empreendimento, confere-lhe uma excelente valorização, superior a do dólar, a da inflação e a do ouro.

A Barra da Tijuca é a região do Rio de Janeiro que teve maior valorização e crescimento demográfico, dobrando sua população nos últimos 10 anos.

8- Campo de golfe:

O golfe confere ao empreendimento imobiliário o privilégio de dispor desse esporte de forma quase que exclusiva.

O campo de golfe do Barra Golden Green, já concluído, foi implantado numa área de cerca de 60.000 m², reservada exclusivamente a este esporte. Foi projetado com características de "Par 3 - Golf-Course", visando a propiciar satisfação a golfistas de qualquer "handicap". O campo tem 6 buracos com distâncias entre si que variam de 130 a 195 jardas, e é o único campo com iluminação para prática noturna.

A raridade e a qualidade do Barra Golden Green conferem a este um valor adicional, independentemente do momento da economia brasileira, o que tem sido confirmado nas pesquisas e contatos comerciais realizados pelo grupo empreendedor. Os prédios têm uma posição única, situados entre o verde do "green" e o azul do mar.

9- Golden Green Club:

O empreendimento dispõe de um clube localizado em lote com cerca de 5.000 m² de área, cujo projeto tem 2.840 m² de área construída em dois pavimentos, em estilo inglês. O clube conta com os seguintes serviços:

· 1º pavimento: salão de estar com bar, varandas, restaurante para 100 pessoas, salas de jogos, administração, lojas para o comércio de conveniência, sanitários, SPA completo: sauna seca e vapor, duas salas de massagem, sala de repouso, vestiários, salão de beleza, fitness center (sala de musculação e ginástica) e piscina térmica coberta, bem como área destinada aos praticantes de golfe, composta de: salão de estar com bar inglês, vestuário, sanitários, área de serviço de apoio ao golfista.

· 2º pavimento: salão de festas, salas de jogos (bilhar, carteado, gamão), banheiros masculino e feminino, apoio da cozinha, despensa para material de restaurante, copa e varanda debruçada sobre as piscinas e o green por toda a extensão deste pavimento.

· Duas quadras de tênis com piso de saibro, 1 quadra de poli-esportiva, duas quadras de squash, 1 piscina semi-olímpica e 1 piscina para adultos e crianças com amplo deck e um sushi bar integrado a ela, estacionamento e jardins.

10- Urbanização:

Na área externa ao terreno foram realizadas pelos empreendedores obras de urbanização de duas avenidas, com cerca de 500 metros de extensão cada uma, em pista dupla com canteiro central, além da iluminação pública, arborização, drenagem, etc.

No interior do terreno foi executada toda a infra-estrutura do empreendimento, tais como: rede de água, energia, etc. e mais de 500.000 m³ de aterro, permitindo implantação do campo de golfe e edificações do empreendimento.

11- Paisagismo e Ecologia:

Não basta a presença da vegetação para se ter um bom projeto paisagístico. Também não é suficiente a presença de uma arquitetura como isolada escultura. Nas palavras do mestre Burle Marx, "é preciso que ela fique ligada à planta, à paisagem. Ela deve fazer jogo com os claros e escuros de um jardim, fazendo parte dos volumes aí encontrados".

Dentro desta filosofia, houve uma perfeita integração entre arquitetura e paisagismo no projeto Barra Golden Green. Procurou-se, através de uma ocupação mínima do solo, se obter uma interpenetração dos jardins e de seus elementos com os edifícios projetados, de tal forma que, sem solução de continuidade, um complementa o outro. Assim foi mantido o equilíbrio ecológico, sem qualquer alteração do eco-sistema, que, com o projeto de Burle Marx, ficou ainda mais enriquecido.

Mais de 2300 plantas aí foram cultivadas, além das grandes áreas gramadas ou pavimentadas em materiais nobres. Até mesmo as vias de acesso aos blocos residenciais foram projetadas de maneira a se diluírem no todo, oferecendo em sua superfície mais elementos plástico da composição integrada. Fazendo parte do conjunto, servindo como elemento de ligação de todos os lotes que compõem o empreendimento, um campo de golfe de 6 buracos oferece, na vastidão de seus gramados, a gentil ondulação de um terreno cuja composição visual é das mais agradáveis.

12- Perfil do consumidor do Barra Golden Green

Trata-se da "Nova Sociedade Emergente", da Barra da Tijuca, indivíduos entre 35 à 55 anos, em sua grande maioria, que tiveram o seu "take over" profissional nos últimos 15 anos.

A grande maioria dos consumidores são oriundos dos demais bairros da Cidade, que se identificaram com a região da Barra da Tijuca situada entre o mar e a montanha.

Esse consumidor é inteligente, cultiva hábitos simples, é prático e objetivo, respeita o que vem do Empreendedor, valoriza a sua segurança pessoal e contribui com seu testemunho positivo na busca de seus futuros vizinhos, sejam eles parentes ou amigos ( Marketing de Relacionamento).

Aqueles que já habitavam a região antes do lançamento do Barra Golden Green, a medida do seu sucesso profissional e ascensão financeira, praticaram e/ou praticam o "up-grade" no bairro da Barra da Tijuca e nos condomínios que residem.

14 - Fatores Determinantes na Aquisição do BGG:

O item segurança patrimonial é um requisito de venda, pois vários consumidores que tiveram o seu take over, sofreram situações adversas, o que os faz valorizar este requisito, sendo que vários já usam helicóptero como meio de transporte. Portanto, segurança e heliponto influenciam à decisão de compra.

Oferta de produto homogêneo, isto é, sem mistura de unidades de menor tamanho ou tipo, por exemplo casas, 1, 2, 3 e 4 quartos no mesmo empreendimento, ou apart-hotel, residencial.

Consumidor exigiu áreas generosas, revestimentos nobres na fachada, especificações de qualidade nas unidades autônomas, ar condicionado central, demandou personalização do seu apartamento concomitante obras da edificação.

Área de conveniência social e de lazer, foi importante na decisão de compra, inclusive o golfe, embora poucos pratiquem o esporte, que acaba sendo visto como área de reserva ecológica.

Localização privilegiada com 500 metros lineares ( ½ Kilometro) no melhor ponta da praia da Barra, além das grifes (placas dos empreendedores) que patrocinaram o empreendimento.